Cobrado*

Mudei pra Curitiba e fui parar no Sítio Cercado. Fugia de São Paulo — a buzinada, as pixações, um redemoinho doido. Achei certo.

Isso de sitio me fazia pensar em “árvores”, “córrego” e “passarinhos”. Disseram que era longe. Rodaria muito pra chegar no centro de Curitiba. Num liguei.

Costumei pescar no riozinho daqui perto de casa, o Ganchinho.

Um dia veio no anzol uma montureira de sangue – carne enrolada em fios que nem ninho de pombo. Demorou um tanto pra ver que era o Nelson.

Vizinho conhecido. Na correria direto. Me devia uns trocados. Nunca cobrei.

Outros cobraram.


* Marcelo Vellinho, “Trucidado a facadas e jogado dentro do rio, no Osternack”, 2009.

Um comentário em “Cobrado*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s