Ciclovias nunca antes pedaladas II

Sobranceiro, fornido e vermelho, crescia à frente o biarticulado do Guabirotuba. A coroa da roda traseira da bicicleta travara, só deu tempo pra saltar pro meio fio e ver o transatlântico urbano abrir em dois o ar gelado da manhã curitibana. Um grande susto, só que não. Na real, juntei dois eventos de uma pedalada recente em um só. A coroa da bike quebrou e o biarticulado passou, na boa, depois. Misturei tudo pra ilustrar meu pavor em pedalar entre esses ônibus e no meio dos quais me vi atirado num rolê até o Guabirotuba.

O medo tem uns treze anos, nasceu de um passeio que fiz logo que cheguei à capital paranaense. Um onibusão desses quase me cuspiu na grade da canaleta da República Argentina. Paulistano metido, achei que andar na canaleta era suave. Foi quando conheci o instante-canaleta-fatal: um biarticulado de cada lado e tu no meio. Senti o bafo do Goodzilla mecânico na nuca antes de me atirar na desnutrida calçada à margem da canaleta. Escapei por pouco, traumatizei forever.

Canaletas são vias especiais projetadas para coletivos. Equivalem aos corredores de ônibus paulistanos e ao BRT carioca. Com quatro pistas, reservam-se as duas centrais para os ônibus e as duas marginais pro resto — carros, caminhões, bikes, carrinheiros, cachorros etc. Com isso, os machimbombos vermelhões só param em pontos ou em sinaleiros, passando batido pelas ruas secundárias. Privilegiados, arrastam velozmente a carroceria tripartida por suas indianópolis urbanas. E os ciclistas aproveitam-se disso.

Mas toda essa história porque meu xamã ciclístico, o Tonico, me levou pra conhecer a praça do pôr do sol curitibana no Guabirotuba. O nome oficial é praça Abílio de Abreu e é conhecida por causa da Pista do Guabi, projetada pra descidas de rolimãs e afins. Saímos às dez, apostando no erro da previsão do tempo, que anunciava uma chuva colombiana para o meio-dia.

Guabirotuba — “muita guabiroba”, em tupi — é um bairro pequeno. Olhando no mapa, parece um trapézio. Espreme-se entre o Prado Velho, Jardim das Américas, Uberaba e Hauer. Do norte da cidade, o rio Belém desliza pro Sul, lambe parte da face norte do bairro e risca o limite do bairro a oeste. Ele corre a céu aberto e paralelo à linha verde, onde ao centro há uma canaleta. Tonico ameaçou invadi-la, mas usei o Belém como argumento: — Vamo margeando o rio, é mais bonito”. Ele cedeu, ladeamos o Belém e numa guinada à direita adentramos a terra das gabirobas.

Bairro do Guabirotuba pelo Google Maps

Logo chegamos à praça. Fica agarrada a um morrete. Na metade dela, descemos das magrelas e as empurramos até o cume. De tão íngreme, meu nariz dava uma rasante na grama, entre bitucas e camisinhas, jogadas ali por joãozinhos e marias movidos a corote. Ainda sobranceiros mas menos fornidos avistamos a cidade do alto. Sol não tinha, tinha era um horizonte cinza mordido por uma arcada de prédios. Tomamos água e embarcamos de volta.

Foi então que me vi na canaleta. Meu morubixaba de pedal não quis saber e só me restou segui-lo. Íamos rumo ao Jardim Botânico, e eu buscava abstrair do maquinismo biarticulado que nos espreitava. Deu-se então a quebra da coroa da roda traseira. A bicicleta virou uma fixa, o pedal passou a girar junto com a roda. Na descida, o problema. Meu espirituoso líder sugeriu erguer os pés do pedal e apoiá-los no garfo. Assim fui, como um piá de 15 anos. A essa altura, o biarticulado já havia passado e deixávamos pra trás o Jardim Botânico rumo ao Pilarzinho.

Enxutos, também deixamos pra trás os meteorologistas, que erraram em três horas a chegada da chuva.

2 comentários em “Ciclovias nunca antes pedaladas II

  1. Um tanto exagerada a impressão do biarticulado, não deixe sua mãe assustada. Você, como sempre, desenvolto pelos caminhos.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s